Moda, DIY, Decoração, Música, Filmes... E muito mais. ;D

Deficiências: MOTORA

3. DEFICIÊNCIA MOTORA

Deficiência motora é uma disfunção física ou motora, a qual poderá ser de caráter congênito ou adquirido.
Desta forma, esta disfunção irá afetar o indivíduo, no que diz respeito à mobilidade. À coordenação motora ou à fala. Este tipo de deficiência pode decorrer de lesões neurológicas, neuromusculares, ortopédicas e ainda de má formação.

3.1 - Quem pode ser considerado deficiente motor?

Considera-se deficiente motor todo o indivíduo que seja portador de deficiência motora, de caráter permanente, ao nível dos membros superiores ou inferiores, de grau igual ou superior a 60% (avaliada pela Tabela Nacional de Incapacidades, aprovada pelo decreto de lei nº 341/93, 30 de Setembro).
Para, além disso, para ser titular deste nome, é necessário que essa deficiência dificulte, comprovadamente, a locomoção na via pública sem auxílio de outrem ou recurso a meios de compensação, bem como o acesso ou utilização dos transportes públicos.

3.2- Quais as causas da deficiência motora?

São vários os motivos que podemos encontrar na base da deficiência motora, destacando-se as seguintes:
•Acidentes de trânsito;
•Acidentes de trabalho;
•Erros médicos;
•Problemas durante o parto;
•Violência;
•Desnutrição

3.3-Os vários tipos de deficiência motora e suas definições:

•Monoplegia: paralisia em um membro do corpo;
•Hemiplegia: paralisia na metade do corpo;
•Paraplegia: paralisia da cintura para baixo;
•Tetraplegia: paralisia do pescoço para baixo;
•Amputação: falta de um membro do corpo.

3.4- O aluno portador de deficiência motora e a escola:

3.4.1- Dentro da sala de aula:

•Deverão ocupar um lugar relativamente próximo do professor;
•Aqueles que necessitem de usar cadeira de rodas, devem ter mesas adaptadas, mais alta do que a dos colegas;
•A incontinência é um dos obstáculos mais desagradáveis, o professor deverá estar a par do problema e explicar aos outros alunos a situação;
•Deverá, portanto ter em atenção os horários de evacuação da criança para que não surjam situações embaraçosas.

3.4.2-O papel do professor:

•Especialização por parte do professor;
•Pesquisa intensiva;
•Inter-ajuda entre pais e professores;
•Ajudar na relação entre os alunos;
•Esclarecimento do problema do aluno;
•Estimular o aluno;
“Lutar pelos direitos dos deficientes é uma forma de superar as nossas próprias deficiências” J.F.Kennedy
A escola é muito importante para qualquer criança, tendo mais importância ainda, para uma criança portadora de necessidades especiais. É na escola que aos poucos a criança adquire confiança em si mesma.

3.5- Comportamentos que devemos evitar e que devemos promover nos alunos com deficiência motora:

•Devemos promover o máximo de independência no âmbito das capacidades e limitações do aluno, mas atendendo sempre às necessidades inerentes a cada caso de deficiência, pois cada caso é um caso e deve-se encontrar sempre uma solução específica adequada.
•Não se deve fazer de conta que estas pessoas não existem, pois se o fizermos vamos estar a ignorar uma característica muito importante dessa pessoa e, se não a virmos da forma como ela é, não nos estaremos a relacionar com a pessoa “verdadeira”, mas sim com outra pessoa que foi inventada por nós próprios.
•Quando se conversa com um aluno em cadeira de rodas, devemo-nos lembrar sempre que, para eles é extremamente incomodo conversar com a cabeça levantada, sendo por isso melhor sentarmo-nos ao seu nível, para que o aluno se possa sentir mais confortável.
•Sempre que haja muita gente em corredores, bares, restaurantes, shoppings e estivermos a ajudar um colega em cadeira de rodas, devemos avançar a cadeira com prudência, pois a pessoa poder-se-á sentir incomodada, se magoar outras pessoas.
•As maiores barreiras não são arquitetônicas, mas sim a falta de informação e os preconceitos.